slide1 slide2

Quem vive sozinho não tem que se sentir só

A população está cada vez mais envelhecida a nível mundial, registando-se, por um lado, o aumento da esperança média de vida e, por outro, a diminuição do número de nascimentos por casal. Consequentemente, a solidão e o abandono são alguns dos problemas que os idosos enfrentam, em Portugal e além-fronteiras, e que estimulam o surgimento de depressão e morte. É para os combater que, um pouco por toda a parte, diversos grupos de estudantes universitários oferecem gratuitamente o seu tempo a quem mais precisa

Continuar...

2017 é o ano de todas as incertezas

Fragilizada pelas várias crises que a têm vindo a atingir, a Europa não está, de acordo com vários analistas, suficientemente preparada para aguentar novos embates. Com eleições em três das suas grandes potências – Holanda, França e Alemanha –, assombrado com o crescimento do fenómeno populista, continuamente (pre)ocupado com a crise dos refugiados, com o terrorismo e ainda ameaçado pelos ventos contrários que sopram do outro lado do Atlântico, o Velho Continente será obrigado a resistir ou a desistir. E passados 60 anos desde o início do “projecto europeu”, 2017 poderá ser um ano crucial. Para o bem ou para o mal

Continuar...

7 coisas que talvez não saiba sobre a Epifania e os famosos Reis Magos

REDAÇÃO CENTRAL, 08 Jan. 17 / 09:00 am (ACI).- Neste domingo, a Igreja no Brasil celebra a Epifania do Senhor, que faz referência à seguinte passagem da visita dos Magos do Oriente ao Menino Jesus: “Entrando na casa, acharam o menino com Maria sua mãe e, prostrando-se, o adoraram; e abrindo os seus tesouros, ofertaram-lhe dádivas: ouro, incenso e mirra” (Mt 2,11). Confira a seguir sete coisas que talvez você não sabia acerca dos Reis Magos e da Epifania.

Continuar...

A Família: Um olhar a partir da beleza e da bondade 10.A família «escultura» viva do Mistério de Deus

 

Demos então início a uma leitura da Exortação Apostólica Pós-Sinodal «Amoris Laetitia. Sobre o amor na família». Façamo-lo, como diz o Papa logo no início do texto, com a consciência de que a complexidade dos temas tratados mostra bem a necessidade de continuar a aprofundar (cf. nº 2). Não se trata, pois, de uma reflexão final que quer dizer e resolver tudo. Pelo contrário, trata-se de um convite a, sem medo, olharmos para a realidade familiar e a pensarmos à luz do amor de Deus, tirando daí as devidas consequências para a ação. E vamos fazer esta leitura capítulo a capítulo, devagarinho como nos é aconselhado no próprio texto, de modo a que cada um possa ir sendo mais consciente da sua responsabilidade no cuidado da família:

Continuar...

No reino do pessimismo o mundo está globalmente melhor

 Depois de um ano particularmente cruel, é difícil acreditar que, a nível global, as condições de vida dos sete mil milhões de habitantes do planeta estejam a melhorar continuamente. É verdade que 2016 ficará na memória de muitos como o ano em que assistimos, na primeira fila, ao que de pior a humanidade é capaz de fazer e são muitos os profetas da desgraça que vaticinam a continuação deste estado de desgraça para 2017. Mas cabe-nos a todos relembrar que as constantes “notícias do dia” não são suficientes para dar a conhecer os desenvolvimentos de longo prazo que definem o mundo em que vivemos. Nem que seja a bem da nossa sanidade mental

Continuar...