slide1 slide2

Viúva de mártir cristão perdoa o ISIS e surpreende apresentador muçulmano na TV

MADRI, 27 Abr. 17 / 07:00 pm (ACI).- A viúva de um dos falecidos nos atentados do Domingo de Ramos no Egito, causados ??pelo Estado Islâmico (ISIS), deu um inspirador testemunho de perdão ao afirmar em uma entrevista que não tem ódio do assassino do seu esposo, pelo contrário, disse: “Que Deus o perdoe, você não sabe o que faz”.

 

 “Não guardo rancor de quem fez isso”, expressou a viúva de Naseen Faheemera, custódio da catedral de Alexandria e um dos falecidos no atentado do último Domingo de Ramos.

Diante do apresentador do programa de uma televisão egípcia, alguns dias após o ataque terrorista, a mulher assegurou junto com os seus dois filhos visivelmente abalados que “não guarda rancor de quem fez isso, acreditem em mim. Eu digo: Que Deus o perdoe, você não sabe o que faz”.

No dia 9 de abril, o Estado Islâmico cometeu dois ataques contra duas igrejas cristãs coptas no Egito. Um dos atentados ocorreu perto do Cairo e o outro em Alexandria. Mais de 40 pessoas morreram e cerca de 100 ficaram feridas.

“Meu marido já não está mais aqui”, assinalou a viúva, que pede a Deus que perdoe os terroristas e que os ajude a pensar no que fizeram. “Pensar, pensar. E se pensarem, compreenderão que nós não fizemos mal nenhum para eles. Pensem no que estão fazendo, está certo ou errado?”, perguntou.

“Que Deus os perdoe. Vocês levaram o meu esposo a um lugar que não podiam sonhar: podem acreditar que eu estou orgulhosa dele e desejaria ter estado lá, ao seu lado”, afirmou a viúva durante breve entrevista.

Depois do comovente testemunho, Amr Abid, apresentador da televisão egípcia, expressou sua surpresa e admiração pelas palavras da mulher. Por isso, apesar de ser muçulmano, afirmou: “Os cristãos egípcios são feitos de aço”.

“Há vários anos os cristãos no Egito suportam atrocidades e tragédias. Amam profundamente o seu país e suportam tudo por esta nação”, assegurou o jornalista.

Além disso, ficou impressionado diante da grande capacidade de perdoar dos cristãos no Egito. “Quanto perdão guardam? Se os seus inimigos soubessem quanto perdão vocês têm para eles, não poderiam acreditar”, expressou.

“Se tivesse sido o meu pai, eu não poderia dizer isso. Essas pessoas perdoam tanto. É a sua fé, são as suas convicções religiosas. Eles são feitos de uma massa diferente. Que Deus acolha Naseem, um herói, um mártir e o melhor exemplo para todos nós”, afirmou o apresentador muçulmano.

Também recordou o grande trabalho realizado pelos cristãos no Egito, apesar de ser uma minoria: “Este país avança com paciência, com perseverança e com resistência, graças a esta grande mulher e os seus filhos. Criados para ser verdadeiros homens”.