slide1 slide2

Card. Kasper: "É o momento da Igreja discutir estes temas"

Cidade do Vaticano (RV) – “Um Estado democrático deve respeitar a vontade popular, isto me parece claro. Se a maioria da população quer estas uniões civis, é um dever do Estado reconhecer tais direitos. Mas não podemos esquecer que mesmo uma legislação similar, mesmo distinguindo entre o matrimônio e as uniões homossexuais, chega a reconhecer a tais uniões, mais ou menos os mesmos direitos das famílias formadas por um homem e uma mulher. Isto tem um impacto enorme na consciência moral das pessoas. Cria uma certa normatividade. E para a Igreja, torna-se ainda mais difícil explicar a diferença”. “Não será fácil”, afirmou num suspiro ao Jornal Corriere della Sera o Cardeal Walter Kasper,  cuja entrevista propomos na íntegra.

Continuar...